Levotiroxina sódica

“Mas eu vou precisar tomar esse medicamento a vida toda?”

não é nada para você se preocupar. o meu endocrinologista da época disse que as funções da tireoide são importantes para o corpo, mas lá em dois mil e onze as minhas não estavam tão normais assim. e lá se vão dez anos administrando medicações diárias para que o meu metabolismo se comporte um pouco mais.

primeiro, comecei a sentir caroços nas axilas, alguns doíam, outros nem tanto. a parte difícil era retirar aquelas coisas de mim. levanta braço, espreme, limpa, fim. um ciclo nojento e constante. foi assim por um ano até eu descobrir que para além da quase ausência menstrual, o hipotireoidismo andaria perto de mim durante a vida. e cá estamos nós. hoje, sinceramente falando, quase nem percebo que ele está perto, quero dizer, percebo somente nos dias raros do mês quando a fadiga extrema me olha nos olhos e diz para que eu desista de viver um pouco. e funciona.

eu tratava alguns sintomas da lentidão tireoidiana culpando (exclusivamente) alguma tristeza. como uma glândula pode fazer isso com a gente? eu acreditava que o meu humor era culpa de tudo, menos de alguma função essencial do corpo. “quando eu fizer vinte anos isso vai passar”, eu dizia jurando que a vida tomaria um eixo tranquilo por volta desse tempo. preciso nem comentar o tanto que me enganei. rumo aos vinte e cinco, continuo atenta para saber quando os comprimidos de 25mcg estão próximos de acabar. isso evita permanentemente o ciclo de quedas de cabelo e a vontade de querer ficar trancada no quarto escuro.

tudo isso é quase um ensinamento do hipotireoidismo para que eu lembre de respirar — mesmo que seja um ensinamento de forma injusta e desanimadora. hoje entendo que o que eu julgava ser exclusiva preguiça e mau humor, na verdade, tem a ponta da cronicidade da minha doença.

essas palavras cumprem o papel de um despertador sonoro com alguma canção estridente e repetitiva, algo para que eu não esqueça que em alguns dias serei a pessoa mais atenta e produtiva. serei a atleta, a editora de imagens e textos, e em outros raros dias eu vou querer imaginar como é ter coragem.

artes e outros sentimentos / www.laryssaandrade.46graus.com

artes e outros sentimentos / www.laryssaandrade.46graus.com